Posts

Coisas estranhas acontecem no mundo do entretenimento

Em uma de minhas palestras, chamada “De onde vêm as ideias?”, começo com um slide trazendo a seguinte pergunta:

Harry Potter é plágio?

 

Apenas essa provocação já aguça o interesse dos espectadores e tenho sempre que me esforçar para não desagradar um possível fã do bruxinho. Sim, já me deparei com um fã incondicional de Harry Potter em uma das palestras e foi difícil conter a fúria do garoto que acreditava que eu era apenas um hatter, um invejoso que não tinha mais o que fazer e estava ali apenas para falar mal da obra mais incrível do mundo. Mas essa é uma outra história.

Pois bem, o mundo do entretenimento está cheio de plágios, mas também contém uma infinidade de histórias que fazem referência a outras grandes obras ou são um conjunto de referências que conta uma nova história, muitas vezes até melhor do que a original.

9781782114079Essa semana fui surpreendido com o anúncio da série “Strange New Things”, uma produção da Amazon, que estará disponível no serviço de streaming Amazon Prime (não disponível no Brasil). Tenho certeza que você está, neste momento, boquiaberto com a similaridade do nome de uma das séries mais aclamadas da atualidade. Sim, estou falando do mega sucesso Stranger Things, da Netflix (esse sim, um serviço disponível no Brasil).

A série Strange New Things será baseada no livro The Book of Strange New Things, do autor Michel Faber. A obra já foi lançada no Brasil pela editora Rocco, sob o título de O Livro das Coisas Estranhas. A trama de ficção científica narra a trajetória de um padre chamado Peter Leigh, que é enviado ao espaço para catequizar uma civilização extraterrestre, formando assim uma nova possível colônia humana. Mas a profunda fé do padre é testada até o limite e novos acontecimentos ditam o ritmo do livro até o final.

Ok, você deve estar se perguntando: “Mas esse livro não é de 2014? Então o nome já existia.” 

Sim, você está correto amiguinho(a). O livro de Michel Faber foi lançado em 2014, porém, a série da Netflix foi lançada antes da nova produção da Amazon e confundir o espectador com um nome tão parecido pode ser um tiro no pé para a nova série. Imagine só quantas pessoas não assistirão essa nova série pensando já ter assistido, achando que as duas são a mesma série.

strangerthingsthumbjpg-6ab191_1280w

“Mas as histórias também são diferentes… não têm relação.. blablabla.”

clarke-arthur-c-i1

Arthur C. Clarke

Certo, você está correto mais uma vez. Mas… sempre o mas.. chegamos ao ponto do texto que eu queria. E se o livro The Book of Strange New Things, for o plágio da história? Veja bem, não estou falando do nome e muito menos das séries da Netflix e da Amazon, estou falando do livro, da obra do aclamado autor Michel Faber.

Muitos fãs de ficção científica, mais especificamente os fãs do consagrado autor Arthur C. Clarke (2001 – Uma Odisseia no Espaço), atribuem a história do livro de Faber como uma cópia modificada do conto A Estrela, escrito e lançado por Clarke em 1956. No conto, considerado o melhor daquele ano, um padre é enviado em uma missão espacial, afim de analisar e estudar os restos de algumas construções na superfície de um planeta que gira em torno de uma estrela. Os resultados mostram que o local pertenceu a uma antiga civilização, que existia antes daquela estrela explodir, e as descobertas do padre colocam em cheque toda sua fé e tudo o que acreditava até aquele momento.

Entendeu agora onde quero chegar? As duas histórias são muito parecidas e chega a ser difícil acreditar que A Estrela é apenas uma referência para o livro de Michel Faber. Está certo que o texto de Arthur Clarke é apenas um conto e história de Faber é muito maior, mas a semelhança do plot e os acontecimentos envolvidos colocam a prova a originalidade da obra recente.

Então agora eu pergunto:

The Book of Strange New Things é plágio?